Sexta-feira, 14 de Março de 2008

Belas palavras para decorar nas férias...

Aqui ficam três poemas de Camões. Basta escolher um deles e decorá-lo. Depois, é só fazer boa figura na aula. Olhem que faço mesmo o concurso! Não se esqueçam: ensaiar ao espelho é boa forma de ensaiar o dizer bem. Quero a vossa alma inteirinha nas palavras que disserem.

---

Vai correr muito bem, tenho a certeza!

-

Soneto:

-

Amor é um fogo que arde sem se ver,

é ferida que dói e não se sente;

é um contentamento descontente,

é dor que desatina sem doer.

-

É um não querer mais que bem querer;

é um andar solitário entre a gente;

é nunca contentar-se de contente;

é um cuidar que ganha em se perder.

-

É querer estar preso por vontade;

é servir a quem vence, o vencedor;

é ter com quem nos mata, lealdade.

-

Mas como causar pode seu favor

nos corações humanos amizade,

se tão contrário a si é o mesmo Amor?

-

___//___

Endechas a Bárbara Escrava

-

Aquela cativa
Que me tem cativo,
Porque nela vivo
Já não quer que viva.
Eu nunca vi rosa
Em suaves molhos,
Que para meus olhos
Fosse mais formosa.

-
Nem no campo flores,
Nem no céu estrelas
Me parecem belas
Como os meus amores.
Rosto singular,
Olhos sossegados,
Pretos e cansados,
Mas não de matar.
-
Uma graça viva,
Que neles lhe mora,
Para ser senhora
De quem é cativa.
Pretos os cabelos,
Onde o povo vão
Perde opinião
Que os louros são belos.
-
Pretidão de Amor,
Tão doce a figura,
Que a neve lhe jura
Que trocara a cor.
Leda mansidão,
que o siso acompanha;
Bem parece estranha,
Mas bárbara não.
-
Presença serena
Que a tormenta amansa;
Nela, enfim, descansa
Toda a minha pena.
Esta é a cativa
Que me tem cativo,
E, pois nela vivo,
É força que viva.
-
___//___
endecha: canção triste.
-
Agora uma cantiga  bem humorado:
-
Não sei se me engana Helena,
Se Maria, se Joana,
não sei qual delas me engana.
-
Uma diz que me quer bem,
outra jura que mo quer;
mas, em jura de mulher
quem crerá, se elas não crêm?
Não posso não crer a Helena,
a Maria, nem Joana,
mas não sei qual mais me engana.
--
Uma faz-me juramentos
que só meu amor estima;
a outra diz que se fina,
Joana, que bebe os ventos.
Se cuido que mente Helena,
também mentirá Joana;
mas quem mente, não me engana.-
___//___
 
Notar, nesta cantiga, o jogo de palavras entre crer (acreditar) e querer (desejar).
"Beber os ventos" significava ser capaz de fazer tudo por alguém.
Mãos à obra, para que tudo saia muito bonito!
sinto-me:
publicado por asergio às 19:32
link do post | comentar | ver comentários (22) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Belas palavras para decor...

.arquivos

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

.tags

. todas as tags

.links